Destaques da vigilância 13/06 – 19/06

Surpreende como o discurso do movimento “escola sem partido” têm penetrado em várias instâncias da sociedade civil, vários grupos, tanto religiosos como não religiosos e afins. Entenda aqui como ele mobiliza seus apoiadores, expande seus discursos e movimenta uma rede de seguidores que compartilham de um objetivo em comum: o ataque à educação democrática.

“Quando a lenda se torna fato, imprima a lenda [como estampa de camisas, de preferência]”

vigilancia7

 

A lógica do ESP pode não ter muita base conceitual, mas ela certamente é muito fácil de se publicizar. Com frases de impacto e uma linguagem acessível, o ESP cativa e conquista apoiadores com uma facilidade que assusta. Assim, o trabalho de criticar o discurso ESPiano só se multiplica, pois é necessário romper essa barreira criada pelo medo de discussões abertas e francas sobre educação a partir de uma perspectiva filosófica, técnica e epistemológica. Para nós, é preciso ampliar o debate cada vez mais, sem permitir que ele se torne raso.

Fonte

 

O “Escola Sem Partido” e a BNCC

vigilancia8

Como já foi noticiado aqui, a influência do ESP na atual administração do MEC provavelmente irá afetar a produção da Base Nacional Curricular Comum. Como agravante, os recentes cortes no SECADI, prejudicando a atuação do Fórum Nacional de Educação, podem beneficiar ainda mais a atuação do ESP ou de grupos análogos na produção de novas versões da BNCC.

Fonte

 

Apoio ao ESP na Câmara dos Deputados

vigilancia9

Rogério Marinho (PSDB-RN) é um dos principais apoiadores do ESP na Comissão de Educação da Câmara, tendo organizado diversas audiências públicas e seminários para discutir temas caros ao movimento. Além disso, o deputado também é autor do PL 1411/2015, que indicamos aqui como um dos projetos relacionados ao “Pacote Escola Sem Partido”, atualmente em tramitação na Câmara dos Deputados.

Fonte

 

As Bases Partidárias do Escola Sem Partido

vigilancia10

vigilancia11

vigilancia12

Não é nada surpreendente afirmar que o discurso do ESP está sendo amplamente reproduzido por legendas partidárias. O que não é de se estranhar; a paranoia e o medo que o ESP fomenta podem muito bem ser usadas como ferramentas para captação de apoio político. Em momentos de crise de legitimidade generalizada é que novas forças políticas começam a surgir e se estabelecer em bases cada vez mais extremadas e violentas. O ódio aos professores e o combate à diversidade nas escolas  é o formato mais recente desse fenômeno.

Fontes aqui, aqui e aqui

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s