Destaques da vigilância 04/07-24/07

O “Escola Sem Partido” e Paulo Freire

vigilancia20

Fonte aqui

Provavelmente um dos momentos que mais causou repercussão no debate entre Miguel Nagib e o professor Fernando Penna no Canal Futura foi a declaração do fundador do ESP de que Paulo Freire teria sido “pedagogo do PT” promovedor “dos interesses do partido que era o partido dele”. A fala entregou o quanto o discurso ESPiano é fundamentado numa retórica conspiracionista e não muito bem embasada, especialmente no que diz respeito ao debate sobre educação, tanto num nível teórico quanto político. Para compensar, ou só como consequência disso, a estratégia de vilanizar figuras ligadas à certas correntes teóricas da área de educação tem sido a maneira do ESP se validar junto à opinião pública. O caso da manchete que a postagem do perfil de Nagib compartilha é ainda mais agravante porque parece que essa narrativa da estigmatização de educadores teóricos e críticos está se expandindo da opinião pública até os níveis de órgãos governamentais e do poder público.

 

Ecos do “Escola Sem Partido”

vigilancia21

vigilancia22

vigilancia23

vigilancia24

vigilancia30

vigilancia31

vigilancia33

vigilancia37

vigilancia38

vigilancia39

vigilancia40

Fonte aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui

O ESP sempre agregou figuras ilustres que ajudam a ressonar e transmitir as propostas do movimento em novos espaços. Essas personalidades dão os ares de legitimidade que o “Escola Sem Partido” necessita para se firmar como a política pública que ele aspira ser. O que é algo que nunca é demais ressaltar: ao contrário do que seus idealizadores difundem, o ESP é uma política de escolarização; o movimento não almeja apenas reforçar aquilo que já está na Constituição ou na LDB, mas concretizar um projeto de educação e escola. Assim, temos um elenco diversificado que, nos exemplos acima, vai desde celebridades da internet (Olavo de Carvalho), procuradores da república (Guilherme Schelb) e políticos (Rogério Marinho e Marcel Van Hattem) que funcional como pontos de interseção na rede ESPiana para difusão e consolidação de sua visão de mundo.

O que podemos observar no último caso destacado, a candidatura do “Batman das Manifestações” à vereador do Rio de Janeiro pelo PSC, é mais um exemplo de como movimentos sociais de orientação conservadora, ou simplesmente retrógrada, vem se comportando. Eron Melo é grande apoiador do ESP, já tendo participado de diversas audiências e manifestações públicas com grupos entusiastas do projeto de lei no município do Rio. O personagem que o agora candidato utiliza para se mobilizar no espaço público começou sua trajetória nas manifestações de Julho de 2013, tornando-se uma figura muito associada, para o bem ou para o mal, ao legado que os acontecimentos da época refletem até hoje. Tal fato não parece escapar ao próprio candidato quando ele afirma:

Eu entendo que a política é a extensão das ruas. Não adianta só estarmos nas ruas batendo penelas, gritando, pressionando. Temos que colocar pessoas que nos representem

Não é difícil perceber na declaração de Eron Melo um reflexo dos mesmos fundamentos que o ESP usa para tentar legitimar seu projeto político.

 

Generofobia

vigilancia25

vigilancia26

vigilancia28

vigilancia32

vigilancia34

vigilancia35

vigilancia36

Fonte aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui

Um dos temas mais comentados nas redes sociais pró-ESP ou ligadas a movimentos para censurar a discussão de gênero e sexualidade nas escolas foi o resultado da votação dos Planos Municipais de Educação de Niterói (RJ). Contando com a participação de figuras como Marisa Lobo e do movimento “Niterói Sem Ideologia” em audiências públicas para discutir a temática de gênero no texto, a polêmica terminou com a Câmara de Vereadores da cidade aprovando os planos com a supressão dos termos gênero e sexualidade do item que corresponde ao combate às desigualdades sociais dentro das escolas e instituindo a proibição de qualquer material ou projeto pedagógico que versassem sobre esses temas (emendas 1 e 98). Pode-se observar que esses grupos se preocupam em repercutir e divulgar ao máximo as informações relacionadas às suas propostas. Vemos na última imagem selecionada, por exemplo, um grupo de Guarulhos (SP) compartilhando informações sobre o desenrolar dos eventos em Niterói.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s