Bibliografia e referências acadêmicas

 

ARTIGOS SOBRE O “ESCOLA SEM PARTIDO”

 

BAGDONAS, Alexandre; AZEVEDO, Hermano Luiz. O Projeto de Lei “Escola sem Partido” e o Ensino de CiênciasALEXANDRIA: R. Educ. Ci. Tec., Florianópolis, v. 10, n. 2, p. 259-277, novembro. 2017.

CALDAS, Renan Rubim. O antimovimento social “Escola Sem Partido” e a negação da produção de subjetividades nos espaços públicos. Anais do XXIX Simpósio Nacional de História – contra os preconceitos: história e democracia. Disponível em http://www.snh2017.anpuh.org/site/anais.

CARVALHO, Fabiana; POLIZEL, Alexandre; MAIO, Eliane. Uma escola sem partido: discursividade, currículos e movimentos sociais. Semina: ciências sociais e humanas. vol. 37, n. 2., 2016.

COLOMBO, Luiza Rabelo. Reflexões sobre o escola sem partido e seu avanço no campo das políticas educacionais brasileirasEntropia, vol. 2, n. 3, jan-jun, 2018.

FREITAS, Eduardo Pacheco. O MOVIMENTO ESCOLA SEM PARTIDO E A “ESCOLA COM RELIGIÃO”: aproximações a partir da série Star Trek: Deep Space NineRevista Acadêmica Licencia&acturas, v. 6, n. 1, p. 76-85, janeiro/junho, 2018

KATZ, Elvis Patrik; MUTZ, Andresa Silva da Costa. A CONSTRUÇÃO DE UMA IDENTIDADE DOCENTE DESEJÁVEL NO DISCURSO DO MOVIMENTO ESCOLA SEM PARTIDO. Reflexão e Ação, Santa Cruz do Sul, v. 26, n. 2, ago. 2018.

KATZ, Elvis e MUTZ, Andressa. Escola sem partido – produção de sentidos e disputas em torno do papel da escola pública no BrasilETD: Educação Temática Digital, v. 19, p. 184-205, 2017.

KATZ, Elvis e MUTZ, Andressa. “O espírito da educação petista”: usos e desusos da tradição e figura de Paulo Freire no discurso do movimento Escola Sem Partido. In: 7º Seminário Brasileiro de Estudos Culturais e Educação e 4ºSeminário Internacional de Estudos Culturais e Educação, 2017, Canoas. Anais do 7º Seminário Brasileiro de Estudos Culturais e Educação e 4º Seminário Internacional de Estudos Culturais e Educação, 2017. v. 1. p. 1-11.

MIGUEL, L. F. Da “doutrinação marxista” à “ideologia de gênero” – Escola Sem Partido e as leis da mordaça no parlamento brasileiro. Revista Direito e Práxis, Rio de Janeiro, 7, set. 2016.

MOURA, Fernanda e SALLES, Diogo da Costa. O Escola sem Partido e o ódio aos professores que formam crianças (des)viadas. Revista Periódicus, n. 9, vol. 1, maio-out. 2018.

PENNA, Fernando e SILVA, Renata da C. A. da. As operações que tornam a história pública. In: MAUAD; RABELO; SANTHIAGO. História pública no Brasil: sentidos e itinerários. São Paulo: Letra e Voz, 2016.

PENNA, Fernando. “O ódio aos professores”. In: AÇÃO EDUCATIVA (org.) A ideologia do Movimento Escola Sem Partido – 20 autores desmontam o discurso. São Paulo: Ação Educativa, 2016.

PENNA, Fernando. Programa “Escola Sem Partido”: Uma ameaça à educação emancipadora. In: GABRIEL, C. T.; MONTEIRO, A. M. e MARTINS, M. L. B. (org.) Narrativas do Rio de Janeiro nas aulas de história. Rio de Janeiro: Mauad X, 2016.

PENNA, Fernando. “Escola sem Partido” como ameaça à Educação Democrática: fabricando o ódio aos professores e destruindo o potencial educacional da escola. In: MACHADO, Andre Roberto; TOLEDO, Maria Rita de Almeida (org.) Golpes na história e na escola: o Brasil e a América Latina nos séculos XX e XXI. São Paulo: Cortez: ANPUH SP, 2017.

PENNA, Fernando. O Escola Sem Partido como chave de leitura do fenômeno educacional. In: FRIGOTTO, Gaudêncio (org.) Escola “sem” Partido – Esfinge que ameaça a educação e a sociedade brasileira. Rio de Janeiro: UERJ, 2017.

PENNA, Fernando e SALLES, Diogo da Costa.  A dupla certidão de nascimento do Escola Sem Partido: analisando as referências intelectuais de uma retórica reacionária. In: Arquivos, documentos e ensino de história: desafios contemporâneos. MUNIZ e LEAL (orgs.). Fortaleza: EdUECE, 2017.

PENNA, Fernando e ALMEIDA, Rodrigo Ferreira de. O trabalho intelectual do professor de história e a construção da educação democrática. Práticas de história pública frente à Base Nacional Comum Curricular e ao Escola Sem Partido. In: História pública em debate: Patrimônio, educação e mediações do passado. ALMEIRA e MENESES (org.). São Paulo, Letra e Voz, 2018.

PENNA, Fernando; FRIGOTTO, Gaudêncio; QUEIROZ, Felipe (orgs.). Educação democrática: antídoto ao Escola Sem Partido. Rio de Janeiro: LPP/UERJ, 2018. (pdf em breve)

PICOLI, Bruno Antonio. TOTALITARISMO NA ESCOLA: UMA ANÁLISE DOS PROJETOS DE LEI DO MOVIMENTO ESCOLA SEM PARTIDOAnais do XXIX Simpósio Nacional de História – contra os preconceitos: história e democracia. Disponível em http://www.snh2017.anpuh.org/site/anais.

ROGÉRIO, Radamés. Uma luta em torno da educação: analisando o movimento “Escola sem Partido” ou Escola “sem” PartidoO público e o privado – Revista do PPG em Sociologia da Universidade Estadual do Ceará – UECE,  nº 30 · jul/dez · 2017.

SALLES, Diogo da Costa. As bases do conceito de “doutrinação ideológica” do Movimento Escola Sem Partido na obra de Nelson Lehmann da Silva. Anais do XXIX Simpósio Nacional de História – contra os preconceitos: história e democracia. Disponível também aqui

SALLES, Diogo da Costa. A concepção pedagógica e o projeto educacional conservador e reacionário do Movimento Escola Sem Partido: uma crítica a partir da função de subjetivação do processo de ensino-aprendizado. RevistAleph. Julho 2017 Ano XIV – Número 28.

SALLES, Diogo da Costa. Ensino de história e a defesa da “neutralidade”: Cultura histórica escolar em tempos de “escola sem partido”. Anais do V Seminário Interno Programa de Pós – Graduação em História Social PPGHS. Disponível também aqui

SILVA, Daniel Pinha. Ampliação e veto ao debate público na escola: História Pública, ensino de História e o projeto   “Escola Sem Partido”. Revista Transversos.“Dossiê: História    Pública:    escritas    contemporâneas    de História. Rio  de  Janeiro,  Vol.  07,  nº.  07, pp. 11-34,  Ano 03. set.  2016.  Disponível em:   <http://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/transversos&gt;.

SILVA, Renata da C. A. da. O ensino de história, o público e o privado. Anais do XXIX Simpósio Nacional de História – contra os preconceitos: história e democracia. Disponível em http://www.snh2017.anpuh.org/site/anais.

SILVA, Renata da C. A. da. Os sentidos de político em disputa nas discussões públicas sobre educação e doutrinaçãoRevista de História Bilros. História(s), Sociedade(s) e Cultura(s)., [S.l.], v. 6, n. 12, p. 220-240, set. 2018.

DOSSIÊ “Escola sem Partido e formação humana” da Revista Fênix. Vol 14, ano XIV, nº1. Clicar em “Dossiê” à esquerda do site para ter acesso aos artigos da edição.

 

 

ARTIGOS SOBRE AS CAMPANHAS TRANSNACIONAIS CONTRA “IDEOLOGIA DE GÊNERO”, “GENDER”, “GENDERISM” E MOVIMENTOS ARTICULADOS

 

JUNQUEIRA, Rogério D. “Ideologia de gênero”: a gênese de uma categoria política reacionária – ou: a promoção dos direitos humanos se tornou uma “ameaça à família natural”? In: Ribeiro, Paula R. C.; Magalhães, Joanalira C. (orgs.). Debates contemporaneos educacao para a sexualidade. Rio Grande, RS, Ed. da FURG, 2017, pp. 25-52. (livro completo no link)

SZWAKO, José. O ‘mau desempenho’ de Lugo: gênero, religião e contramovimento na última destituição presidencial paraguaia. Opinião Pública,  Campinas,  v. 20, n. 1, p. 132-155, Abr.  2014 .

Dossiê da Cadernos Pagu. Vários textos sobre os protestos que a Judith Butler tem sofrido no mundo e como isso vem no bojo da campanha contra a “ideologia de gênero”.

 

 

MONOGRAFIAS, DISSERTAÇÕES E TESES SOBRE O “ESCOLA SEM PARTIDO” E ATAQUES AOS DEBATES DE GÊNERO NAS ESCOLAS

 

CALDAS, Renan Rubim. Narrativas em movimento: do “Escola sem Partido” à “Educação Democrática”: história pública e trajetórias docentes. 339 f. Dissertação de mestrado em História – Universidade Federal Fluminense. Niterói, 2018.

CAROLLI, André Luis. Desconstrução de discursos discriminatórios sobre a diversidade de expressão da sexualidade e da identidade de gênero expressos entre alunos e alunas do ensino médio. 201 f. Dissertação ( Programa de PósGraduação em Educação). Unidade Universitária de Paranaíba – Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul). Paranaíba, 2017.

KATZ, Elvis Patrik. Escola Sem Partido: Uma análise das investidas de poder sobre as identidades docentes. Dissertação (Mestrado em Pós-Graduação em Educação) – Universidade Federal do Rio Grande. Rio Grande, 2017.

LIQUER, Isabella Ribeiro. Educação e Cidadania: Reflexões sobre a (in)constitucionalidade do projeto de lei brasileiro “Escola sem Partido”. 100 f. Dissertação de mestrado em Direito (Ciências Jurídico-Políticas). Faculdade de Direito da Universidade do Porto, Porto, 2017.

MOURA, F. P. de. “Escola Sem Partido”: relações entre Estado, educação e religião e os impactos no ensino de história. 189 f. Dissertação (Mestrado Profissional em Ensino de História) Instituto de História, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2016.

PINHEIRO, Cristiano Guedes. Escola Sem Partido (ESP) versus Professores Contra o Escola Sem Partido (PCESP): tensões e discurso nas redes sociais. 251f. Tese (Doutorado em Educação) Faculdade de Educação, Universidade Federal de Pelotas, Rio Grande do Sul, 2017.

SANTOS, Thiago Pereira dos. Corpo, sexualidade e resistências o contraste entre as propostas dos projetos denominados Escola sem Partido e as perspectivas foucaultianas. Dissertação (Mestrado em Educação). Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul, Unidade Universitária de Paranaíba, 2017.

TRAVINCAS, Amanda. A tutela jurídica da liberdade acadêmica no Brasil – A liberdade de ensinar e seus limites. 300 f. Tese – (Doutorado em Direito) Programa de Pós-Graduação em Direito, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2016.

YAMAUCHI, Cyntia Regina de Oliveira. Ética na perspectiva bakhtiniana e a formação crítica docente em tempos de Escola sem Partido: A palavra como fenômeno ideológico. Monografia apresentada ao Instituto de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão do Centro Universitário Nossa Senhora do Patrocínio (CEUNSP) como requisito parcial para obtenção do Titulo de Especialista em Docência do Ensino Superior. Salto, 2018.

 

 

TEXTOS DE EMBASAMENTO DA CRÍTICA AO “ESCOLA SEM PARTIDO”

 

BIESTA, Gert. Boa educação na era da mensuração. Cad. Pesqui.,  São Paulo ,  v. 42, n. 147, p. 808-825,  Dez.  2012.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido.

__________. Pedagogia da autonomia.

GUIDOTTI, Vitor Hugo. Dissimulação intolerante: o espectro religioso e suas implicações para uma educação em direitos humanos em diferentes escolas de Amambai, MS. 243f. Dissertação de mestrado em Sociologia. Faculdade de Sociologia da Universidade Federal de Grandes Dourados.

KARRAN, Terence. Academic freedom: a research bibliography. (lista em inglês de textos em inglês que tratam do tema liberdade acadêmica).

KRITSCH, R.; SILVA, A. L. e VENTURA, R. W. O gênero do público: críticas feministas ao liberalismo e seus desdobramentos. Revista Mediações (UEL). Londrina, v. 14, p.52-83, 2009.

LACLAU, Ernesto. A razão populista.

MOUFFE, Chantal. Sobre o político.

OKIN, Susan Moller. Gênero, o público e o privado. Rev. Estud. Fem.,  Florianópolis, v. 16, n. 2, p. 305-332,  Ago. 2008.

RANCIÈRE, Jacques. O ódio à democracia.

SAFFIOTI, Heleieth I.B.. Contribuições feministas para o estudo da violência de gênero. Cad. Pagu,  Campinas ,  n. 16, p. 115-136, 2001.

SAVIANI, Dermeval. Escola e democracia.

 

Anúncios