O projeto “escola sem partido” não é sobre a afixação de um cartaz

Renata Aquino Ontem, dia 21/02, aconteceu um debate na TV Câmara sobre projeto de lei “escola sem partido”. Exibida no programa Expansão Nacional, a discussão contou com a participação da subprocuradora geral da República e procuradora federal dos direitos do cidadão, Deborah Duprat, o advogado e criador do movimento “escola sem partido”, Miguel Nagib e…

O ódio aos professores se profissionaliza

Prof. Dr. Fernando de Araujo Penna Esta foi uma publicação feita na página de Facebook “Professores contra o escola sem partido” no dia 02 de abril de 2016. Por desrespeitar as regras de convivência da página, foi devidamente apagada, mas não sem antes ser registrada. Basta lê-la para constatar o ódio direcionado aos mais de…

Destaques da vigilância 04/07-24/07

O “Escola Sem Partido” e Paulo Freire Fonte aqui Provavelmente um dos momentos que mais causou repercussão no debate entre Miguel Nagib e o professor Fernando Penna no Canal Futura foi a declaração do fundador do ESP de que Paulo Freire teria sido “pedagogo do PT” promovedor “dos interesses do partido que era o partido…

Destaques da vigilância 20/06-03/07

    Audiências Públicas no Rio de Janeiro, Saudações a Ustra, Gênero e Sexualidade Fonte Fonte Fonte Fonte Fonte   Fonte Fonte Durante a última semana do mês de junho, a Câmara Municipal da capital fluminense foi palco de duas audiências públicas para debater o Plano de Educação Carioca. A primeira audiência, do dia 28,…

Destaques da vigilância 06/06 – 11/06

Surpreende como o discurso do movimento “escola sem partido” têm penetrado em várias instâncias da sociedade civil, vários grupos, tanto religiosos como não religiosos e afins. Entenda aqui como ele mobiliza seus apoiadores, expande seus discursos e movimenta uma rede de seguidores que compartilham de um objetivo em comum: o ataque à educação democrática.  …

O ataque aos livros didáticos

Texto de Elisa Dourado Publicado originalmente aqui, em 21/02/2016 Todas as crianças, independentemente de sua orientação sexual ou identidade de gênero têm direito a uma infância segura, saudável e livre de discriminação. Assim começa uma cartilha da UNICEF (Documento de posição n. 9, novembro de 2014) intitulada, em tradução livre, “Eliminando a discriminação contra filhos…